Babuíno

Posted by:  :  Category: Animais em extinção, Macacos


(Papio papio)

Uma vida de prazeres

Observando um bando de babuínos, a primeira impressão é de que eles são desorganizados e que não obedecem a nenhuma hierarquia. Mas não é bem assim. eles têm líderes (os machos dominantes), que exercem autoridade sobre os outros e têm privilégios. Se um alimento for atirado ao bando, os machos dominantes serão os primeiros a escolher. Os outros nem ao menos se preocupam em olhá-lo. Como os dominados aceitam sua posição inferior, quase não há disputas dentro do bando; quando muito, uma pequena briguinha. E nunca há disputas pela posse das fêmeas. Durante o cio, elas acasalam livremente com todos os machos.
Esses macacos, encontrados por quase toda a África, vivem geralmente em campo aberto.
O grito agudo das sentinelas avisa o bando da presença de um inimigo. Os babuínos são onívoros, isto é, comem de tudo, mas sua dieta varia de acordo com a estação do ano, território, idade e sexo do indivíduo. As fêmeas e os filhotes recém-nascidos alimentam-se de capim; os filhotes mais desenvolvidos comem casca de árvore, insetos e lagartos. Logo depois de desmamados, os filhotes já são capazes de cuidar de si mesmos.

Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Família: Cercopithecidae
Características:
Comprimento: 70 cm, mais 50 cm de cauda
Várias espécies, incluindo o hamadríade, ou babuíno sagrado, cujo macho tem uma crina nas costas.

www.achetudoeregiao.com.br


Bigodeiro

Posted by:  :  Category: Macacos

(Saguinus imperator)

Animais tipicamente florestais lembram os esquilos pelo seu comportamento e na forma do corpo.

Classe: Mammalia
Ordem: Primates
Família: Callithrichidae
Nome científico: Saguinus imperator
Nome vulgar: Bigodeiro
Categoria: Ameaçada

Características: Animais tipicamente florestais lembram os esquilos pelo seu comportamento e na forma do corpo. Raramente adotam a postura bípede, apoiam-se nas quatro patas e deitam-se nos galhos com a cauda pendente. Suas garras são utilizadas para subir nos troncos e para retirar insetos e larvas do interior dos galhos das árvores. Raramente saltam de uma árvore para outra mas atravessam com agilidade as pontes formadas pelos ramos. Abrigam-se nos ocos dos troncos, mas não constroem ninhos. Possuem domínios definidos e os bandos instalam-se nas proximidades das fruteiras. Utilizam os mesmos galhos e as mesmas árvores durante os deslocamentos. Em geral os machos encarregam-se de transportar os filhos pequenos que se agarram aos pêlos do dorso e às vezes da barriga.
Habitat: Florestas tropicais. Hábito: Diurno. Vivem em grupo de até seis indivíduos. Longevidade: 15 anos. Maturidade: fêmea, 18 meses, macho 24 meses. Reproduzem durante todo ano. A gestação é de quatro a cinco meses. Desmame ocorre em dois meses. Nascem dois filhotes. Na natureza alimentam-se de frutas, vegetais, ovos e insetos. Em cativeiro frutas, carne, ovos e insetos.
Peso: Adulto pesa entre 225 a 900 gramas
Ocorrência Geográfica: Brasil – Amazônia
Cientista que descreveu: Lorini e Persson, 1990
Categoria/Critério: Ameaçado de acordo com a lista oficial do IBAMA. Tráfico de animais e destruição do habitat contribuem com a extinção.

Fonte: www.ambientebrasil.com.br, apud, MMA/SINIMA


?>