Aranha marron

Posted by:  :  Category: Aranhas

Essas aranhas, como outras tantas que se adaptaram a viver em ambientes modificados pelo homem, seriam desconhecidas da maioria da população se não fosse pelo fato de seu veneno ser capaz, mesmo em quantidades extremamente pequenas, causar problemas de saúde de intensidade leve a grave, podendo inclusive em poucos casos levar à morte.

A aranha marron pode viver mais 5 anos, podem passar meses sem alimento, mas são bem menos resistentes a falta de água. Algumas espécies de Loxosceles podem ficar mais de um ano sem água e sem alimento.

As aranhas em geral têm o sexo geneticamente determinado, mas antes da maturidade sexual é difícil distinguir entre machos e fêmeas.

Tempo de incubação do ovos: 50 dias
O desenvolvimento das aranha depende do tipo de presas ingeridas (dieta), da quantidade de presas ingeridas e da temperatura ambiental
A longevidade média das fêmeas é de mais de 3 anos, mas existem registros de fêmeas que viveram mais de 6 anos em laboratório
A longevidade média dos machos é próximo de um ano e meio, mas existem registros de machos que viveram mais de 2 anos em laboratório
A Loxosceles intemedia não tolera temperaturas muito altas (mortalidade inicia a 40 °C para aumento de temperatura gradual)
A Loxosceles intermedia resiste a baixas temperaturas (até -5 °C)

A aranha marrom caracteriza-se como uma ótima colonizadora de residências humanas, ocorre a reprodução durante o ano todo, tem grande longevidade, facilidade de ocorrer cópula dado o encontro de machos e fêmeas, não tem aparentemente predadores especializados em caça-las. Essas aranhas ocorrem em baixas densidades em ambientes naturais, mas se adaptaram muito bem as construções feitas pelo homem. Podem permanecer longos períodos sem alimento, e podem até mesmo ingerir outros insetos ou aranhas mortos, ocasionalmente.
Como se locomove mais, principalmente em dias mais quentes e sob baixa intensidade luminosa, a aranha marron tem muito mais chances de contato com o ser humano.

Colibri

Posted by:  :  Category: Colibri

Colibri é um género de beija-flores que ocorre na América Central e do Sul. O grupo inclui quatro espécies, três das quais existentes no Brasil. Habitam zonas de floresta montanhosa.
Os beija-flores do género Colibri têm entre 12 e 14 cm de comprimento e são relativamente grandes para o seu grupo. A sua plumagem é à base de verde brilhante menos o beija-flor-marrom. Todas as espécies do grupo têm uma mancha de cor violeta atrás dos olhos, de penas tufadas. A cauda é larga e arredondada e o bico é rectilíneo. As fémeas distinguem-se pelas manchas violetas de menores dimensões.

Estes beija-flores são aves sedentárias, menos a espécie Colibri thalassinus, que migra até às regiões Norte dos Estados Unidos da América. São muito territoriais e agressivos e é comum atacarem outros beija-flores em zonas de alimentação.

Wikipedia

Jacaré

Posted by:  :  Category: Jacarés


O jacaré é um réptil carnívoro da família Alligatoridae pertencente à ordem Crocodylia. Trata-se de um habilidoso nadador que consegue também ser muito rápido em terra firme quando isto se faz necessário. Estes animais descendem dos primeiros répteis que habitaram a terra (há 230 milhões de anos), portanto são parentes dos dinossauros, animais pré-históricos.

Os jacarés são animais muito semelhantes aos crocodilos dos quais se diferenciam por ter membranas entre os dedos das patas traseiras e por ter uma cabeça mais curta e larga. Outra diferença entre estes animais é o fato do jacaré possuir o quarto dente canino que se encaixa na mandíbula superior, enquanto no crocodilo este mesmo dente fica exposto quando o crocodilo fecha a boca. Ao nascer o comprimento do jacaré é de 30 cm, chegando, na maturidade, a 1,80m (no caso específico do jacaré-açú, seu comprimento pode chegar a 6m). Na idade adulta o jacaré pode atingir até 300 kg e sua idade varia entre 80 e 100 anos.

No continente americano há diversas espécies, no Brasil existem três tipos espalhados em diversas regiões, são eles: jacaré-negro ou jacaré-do-pantanal, jacaré-açú ou jacaré-gigante, jacaré-do-papo-amarelo ou ururau, jacaré-coroa ou paguá e jacaré-coroa ou caimão-de-cara-lisa.

Seus hábitos consistem em se agrupar durante o dia a fim de tomarem sol e durante a noite sair para caçar. A caçada é feita geralmente dentro da água. Sua dieta é variada, alimentam-se de peixes, moluscos, aves e de mamíferos pequenos encontrados nas margens dos rios. O jacaré possui 80 dentes, mas só os utiliza quando a presa é muito grande (sacodindo-a até fazê-la em pedaços), quando a presa é pequena, este feroz animal apenas a engole. O jacaré necessita de cerca de 10% do seu peso em alimentos ao dia. Para se locomoverem os jacarés usam a cauda movendo-a de maneira ondulatória. Durante o nado os olhos e as narinas deste animal ficam acima da superfície da água.

Para se reproduzirem, os jacarés se acasalam na água. Em seguida a fêmea faz um ninho na vegetação da beira de um lago, onde coloca seus ovos (40 a 50 postos uma vez por ano) que eclodirão após um mês de incubação (feita pelo calor do sol e pela fermentação química dos vegetais que compõe o ninho). Uma característica interessante é o fato da fêmea do jacaré, ao contrário das outras espécies de répteis, ter o hábito de proteger o ninho e seus filhotes.

Infelizmente o jacaré está na lista dos animais em extinção, visto que muitas pessoas apreciam o sabor de sua carne e seu couro é utilizado para fabricação de bolsas, carteiras e outros produtos industrializados.

Por Thais Pacievitch
http://www.infoescola.com

Lhama

Posted by:  :  Category: Lhamas


Os lhamas vivem em grupos

Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Mammalia
Ordem Artiodactyla
Família Camelidae
Gênero Llama
Espécie Lama glama

O Lama glama é um ruminante típico de regiões de relevo mais acentuado da América do Sul: zona dos Andes, Altiplano Andino, Chile, Bolívia, Peru e Argentina. Esse animal, pertencente à ordem Artiodactyla e família Camelidae, tem tamanho menor que o de um camelo. Pode atingir 2,4 m de altura, pesar até 140 kg e viver por, aproximadamente, 24 anos. A cauda tem cerca de 75 cm. Possui pescoço alongado e cabeça oval.

Sua pelagem, fina e longa, tem tons que variam entre o preto, marrom, amarelo e branco – uniforme ou com manchas de coloração diferente. Alimentam-se de gramíneas. Defecam sempre no mesmo local.

Vivem em haréns de aproximadamente 15 fêmeas e um macho dominante. Ao fim de cada gestação, de aproximadamente 350 dias de duração, há o nascimento de uma ou, raramente, duas crias. Elas são amamentadas por até cinco meses, atingindo a maturidade sexual aproximadamente dois anos depois.

O lhama foi domesticado há, aproximadamente, 4 mil anos, pelos povos pré-colombianos. Hoje é utilizado como animal de carga pelos povos andinos, que consomem também sua carne, assim como o leite e a lã.

Curiosidades:

Esses animais costumam cuspir uma substância malcheirosa em outros indivíduos – inclusive humanos – ao se sentirem incomodados.

Quando recebem uma carga de peso maior do que suportam, deitam-se e permanecem dessa forma até que o excedente seja retirado.

As fezes deste animal, adicionadas ao calcário, foram utilizadas para despoluir as águas de uma região mineira da Bolívia, uma vez que tais detritos absorvem partículas de ferro e as bactérias presentes neste material alcalinizam a água.

Por Mariana Araguaia
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola

Fonte: www.brasilescola.com


Canário-da-terra

Posted by:  :  Category: Canário-da-terra

Chama atenção pelo amarelo-vivo do topete e no peito, que sobressai em contraste com a cor dominante do corpo (um amarelo-ocre) e as listras escuras na cauda. Chamado também de canário-do-reino, é típico de regiões abertas. Alimenta-se de sementes e capim, passando boa parte do tempo no chão. Mostra-se por alguns instantes quando sobe em fios de cerca para vigiar a redondeza – depois volta ao chão. Mede uns 10 cm e tem nome científico de Sicalis flaveola.

Fonte: www.agrov.com, apud, Revista Meu Sítio – Guia Rural – Editora Abril


?>